Dia mundial da alimentação

Falamos de excessos e de carências, de desperdício alimentar, de comida que se deita fora e de gente que tem nada para comer. Não se trata, pois, de desordens alimentares, mas sim de desequilíbrios dos humanos que detêm o poder de deitar fora aquilo que faz falta. Falamos daquilo que é mais básico, que é a alimentação e que nunca deveria faltar a alguém.

Podemos também falar da alimentação de um ponto de vista puramente comportamental, isto é, vou ou não vou comer ou como a simples satisfação de uma necessidade básica. Seria demasiado redutor, pois o corpo é o que temos de menos biológico. Verdade, o corpo é essencialmente, emocional, psicológico, mental e por isso mesmo, comer é muitíssimo mais do que saciar o estômago. Os distúrbios alimentares mostram justamente esta indissociável ligação corpo-mente, sendo que por detrás, existe sempre sofrimento psicológico que não deverá ser ignorado.

Celeste Peixoto

X