Candidaturas aos campos de trabalho internacionais para 2018
14 DEZ 2017

Candidaturas aos campos de trabalho internacionais para 2018

De 1 a 31 de Dezembro de 2017 decorre o período para a apresentação de propostas de campos de trabalho internacionais, por organizações promotoras, nas Direcções Regionais do IPDJ e Lojas Ponto Já, bem como na Direção Regional da Educação e da Juventude dos Açores e na Direção Regional de Educação e de Juventude e Desportos da Madeira.

Para o ano de 2018 mantêm-se o apoio financeiro de 21,50 € por dia e participante e o valor da taxa de inscrição e de caução de 25,00 €.

Foi ainda decidido pelo Conselho Diretivo do IPDJ, para o ano de 2018, manter nas propostas aos CTI um máximo 17 voluntários, uma duração máxima de 12 dias,  não aprovadar e selecionadar para financiamento mais do que 2 candidaturas por entidade e de acordo com uma reordenação da lista definitiva que garanta uma maior diversidade de entidades promotoras de CTI (ver portal da juventude – candidaturas de entidades).

Para o ano de 2018 foram aprovadas superiormente 2 áreas prioritárias - o Ano Europeu do Património Cultural 2018 ou Defesa da Floresta e Populações contra Incêndios.

•         Para o Ano Europeu pretende-se uma abordagem pontual, enquadrada, integrada e mais do que apenas turística e não esquecendo a componente de trabalho coletivo, a um dos locais culturais em Portugal, devidamente identificado entre os 15 inscritos na UNESCO ou dos 22 da lista indicativa (excluindo os locais meramente ambientais e/ou naturais de ambas as listas).

•         Para a Defesa da Floresta pretende-se atividades explicitas pontuais ou não nesta área , de prevenção, preservação, defesa e apoio da floresta e populações contra incêndios excluindo atividades profissionais e com risco de segurança para os voluntários.

•         Caso opte por projetos nas áreas prioritárias deve escolher apenas uma delas.
Para 2018 e iniciando a fase de candidaturas aos vários programas do IPDJ na plataforma informática online, será dada preferência à apresentação de candidaturas online pelas organizações.

Para as candidaturas online das entidades aos CTI (de 1 a 31 de dezembro de 2017) será necessário:


1.      Aceder à plataforma (para candidaturas, entidades, monitores e jovens) no seguinte link: https://programas.juventude.gov.pt

2.      Elaborar um registo simples de entidade que possibilitará seguidamente a apresentação de candidaturas aos campos de trabalho.

3.      Anexar ao registo de entidade no perfil, 2 ficheiros -  o extrato do Diário da Republica e cópia do NIPC.

4.      Assim que o registo de entidade estiver efetuado, aceder à plataforma com o NIF e password previamente definida;

5.      Na plataforma terá uma nota introdutória sobre a elaboração de candidaturas aos CTI;

6.      Dentro da plataforma encontrará a área de candidaturas aos CTI onde poderá elaborar todas as suas candidaturas -  pode parar, gravar e voltar mais tarde às suas candidaturas;

7.      Para efetivar as candidaturas aos CTI, as entidades terão de colocar alguns anexos obrigatórios em pdf exceto ficha informativa em word (cronograma, programa de atividades, ficha informativa em inglês, declarações de compromisso, termo de responsabilidade, parcerias caso existam, simulação de seguro, etc)

8.      Haverá ainda anexos facultativos das parcerias financeiras ou logísticas caso existam;

9.  A informação dos monitores nas candidaturas irá implicar que os monitores propostos efetuem um registo individual simples na plataforma e anexem o respetivo currículo (caso sejam candidatos a monitores de CTI pela 1ª vez devem anexar ainda um ficheiro com os certificados relevantes para esta atividade). Os monitores devem preencher e assinar as suas declarações de compromisso para as candidaturas das entidades. O Coordenador do projetos também tem de efetuar o registo individual;

10.  Assim que os monitores e coordenador estiverem registados as entidades candidatas já podem registar os respetivos NIF dos monitores e coordenador nas suas candidaturas;

11.  Assim que as candidaturas estiverem completas terão de as  submeter na plataforma, caso não o façam não serão consideradas;

12.  Só deverão submeter as candidaturas quando estas estiverem prontas pois as entidades deixarão de ter acesso as candidaturas para alterações;

13.  As candidaturas online e apenas estas, requerem a assinatura e carimbo de um termo de responsabilidade por cada uma apresentada. A entrega do termo de responsabilidade que não esteja devidamente preenchido exclui a candidatura;

14.  Em breve será enviado e divulgado no portal da juventude um manual/tutorial básico de uso da plataforma para o registo de entidades, monitores e elaboração de candidaturas

15.  As entidades candidatas devem apresentar as suas candidaturas uma única vez ao IPDJ e de uma única forma (exceto candidaturas enviadas por mail que requerem a apresentação dos originais pelas entidades e dentro do mesmo prazo de candidatura), escolhendo um dos meios disponíveis (por mão, por correio, por mail ou online);
Todas as entidades candidatas aos CTI deverão possuir as condições logísticas necessárias para a realização deste tipo de atividade ao nível das infra-estruturas de alojamento, alimentação, higiene e segurança, etc,